quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Poesia Infantil

No âmbito da educação literária, na BE, os alunos do 4º ano ficaram a conhecer a obra: Versos de Cacaracá, histórias contadas em verso com a mestria das palavra de António Manuel Couto Viana.
Esta obra serviu de motivação para algumas poesias infantis elaboradas pelos alunos.

Flores e Cores

Flores, flores e
mais cores...
tantas cores
que acabam com os rancores
que contam os contadores.
Eu gosto de cores,
mas não de rancores
os meus amores
gostam de flores
com muitas cores.

Kauã Dias

O Bicho-carpinteiro

Lá estou eu  na cadeira,
sempre a saltar, não paro quieto,
já me estou a chatear.

Eu a pular e o professor a chamar:
-Ó bichinho pára lá quieto,
se não... podes apanhar!
E agora para acabar,
vou estudar,
e no fim vou brincar,
porque... eu estou a sonhar!

Diogo Garceis e Mateus Serra


O Branco
O branco é a cor das folhas do caderno.
É a cor do açúcar que pomos no leite de manhã, que também é branco.
É a cor da farinha feita com o milho que come a galinha.
É a cor da flor da laranjeira e também da tangerineira.
Branca é a neve como a pomba da paz que tanta calma nos trás.
 

Salomé Afonso







                                               Rimar

Para começar
já estou a rimar,
mas o que eu gosto
é de cantarolar.

Sou um bicho maroto,
e um pouco brincalhão,
mas do que eu gosto
é de um grande trambolhão.

vou acabar de rimar,
e também cantarolar.
A seguir vou-me calar,
porque o que quero é brincar.

Tiago Jesus Perez Pereira 


terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

O beijo da palavrinha

No âmbito da Educação Literária, na BE foi lida e explorada, com os alunos do 4º ano, a obra: O  beijo da palavrinha de Mia Couto.
Como proposta de trabalho foi solicitado aos alunos um outro final para esta história, imaginando que a ideia de Zeca Zonzo levasse a que Maria Poeirinha melhorasse de saúde.


 A esperança
Esta é a história de um menino que com a sua grande amizade e carinho pela irmã, conseguiu que a sua doença não acabasse com a esperança de viver.
Maria Poeirinha, irmã do Zeca Zonzo, sofria de uma doença que fazia com que ela ficasse muito fraca,  débil e sem vontade de nada e tudo isto por não conhecer o mar.
Ela sonhava todos os dias em conhecer aquele sítio que seria a sua única esperança.
Um dia, o seu irmão conseguiu levá-la à praia. Ela ficou curada. Era uma criança normal, corria, brincava, falava e tinha um brilho nos olhos que mostrava a felicidade que ela sentia. Juntos viveram a vida de uma forma diferente e desde então foram muito felizes.


Rúben Mesquita 4º ano EB de Friestas
O mar
Quando o irmão de Maria Poeirinha lhe fez sentir o mar, a menina ficou melhor e a vontade de ela conhecer o mar aumentou.Quando o tio Jaime voltou para visitar a família ficou admirado com as melhoras de Maria Poeirinha.
Decidiram então que tinha chegado a hora de toda a família conhecer o grande mar azul.Partiram de comboio todos juntos. Toda a família estava admirada. Quando chegaram à praia ficaram em silêncio sentindo a brisa do mar. A Maria olhava as gaivotas, sentia-se muito bem e chorou de alegria junto ao mar.
 Carina Vieira , turma H, EB de Valença

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Conto Viaxeiro Transfronteirizo

As turmas do 2º E e 3º F da EB de Valença deslocaram-se à biblioteca municipal para  participarem na atividade: Conto Viaxeiro Transfronteirizo.
O projeto Polo Correio do Vento assenta a sua realização em dois eixos.
As crianças construirão uma história coletiva, com as suas personagens e respetivo enredo, bem como os cenários e a ilustração dos conteúdos.
Os animadores Enrique Mauricio e Carlos Taboada, serão mediadores de todos o processo criativo.
A construção desta história coletiva, terá como objetivo a participação das crianças de diferentes vilas, dez galegas e dez portuguesas, unindo desta forma, os dois lados do rio Minho, eliminando fronteiras físicas e promovendo o conhecimento mutuo entre os dois lados da Raia.



 

A Minha Cidade

Eu moro numa cidade chamada Valença, é um lugar muito bonito que faz fronteira com Espanha, é rodeada de muralhas no alto de uma colina, estas muralhas são conhecidas por fortaleza.
A minha cidade Valença do Minho também é muito visitada pelos espanhóis e pelos peregrinos para fazer o caminho de Santiago.
As ruas da fortaleza são estreitas, empedradas, com muitas lojas de produtos artesanais, muitas casas antigas, restaurantes e uma igreja.
Na minha cidade de Valença também se come muito bem, o nosso caldo verde ganhou o prémio de uma das sete maravilhas gastronómicas de Portugal.

Rodrigo Filipe

2º ano, turma D



Rita Nicolau, Hora do Conto, "Habito em ti Valença do Minho"

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Eu habito em ti Valença do Minho


Para os alunos terem conhecimento do significado do feriado municipal da nossa cidade e no âmbito das áreas de Estudo do Meio e Educação para a Cultura, Rita Nicolau, autora e ilustradora do livro: Eu habito em ti Valença do Minho, esteve na biblioteca da EB de Valença e realizou animadas e mágicas sessões de leitura que fizeram o encanto dos alunos. No final realizou-se a exploração do livro com perguntas, respostas e comentários relativamente ao passado histórico de Valença.
Valença celebra o seu feriado municipal a 18 de fevereiro, dia de S. Teotónio, primeiro santo português.
S. Teotónio nasceu em 1082 na freguesia de Ganfei e faleceu em Coimbra a 18 de fevereiro de 1162, comemorando-se assim os 851 anos do seu falecimento.


 




terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

As crianças do pré-escolar da escola básica de Valença estão a participar no programa PASSEzinho N1 (2013/2014).
PASSEzinho o que é? É um programa promovido pela Administração Regional da Saúde do Norte, em parceria com o Ministério da Educação e Ciência, aplicado à alimentação saudável.
Na sequência deste projeto e em colaboração com o pré-escolar, a BE idealizou uma história subordinada ao tema em  questão, usando a mascote do mesmo, a Dora, para levar as crianças a realizarem uma viagem à Terra do Crescer Bem, uma terra mágica onde vivem todos os alimentos essênciais a uma alimentação saudável. Pelo caminho a Dora foi apresentando os seus amigos, os alimentos, que interagiam com as crianças, dando conselhos e fornecendo pistas sobre as propriedades e benefícios dos mesmos.

À procura das estrelas luminosas sala3

À procura das estrelas luminosas

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Um buraco no meu quintal


Mais uma hora do conto realizada na BE da EB de Valença.
Desta vez ouvimos a história de Marisa Pott e ilustrada pela Carla Pott.
No fim da história, tivemos a oportunidade  de entrar num jogo em que, através da imaginação e seguindo indicações precisas, cada um "viajou" até ao seu buraco mágico. Recriarmos o mundo por nós imaginado, que posteriormente, registamos nos nossos desenhos e pinturas.











sábado, 8 de fevereiro de 2014

A minha cidade - Valença


Brasão do Município de ValençaNo âmbito das áreas de Estudo do Meio: O passado do meio local e na Educação para a Cultura, os alunos da turma B da EB de Friestas ouviram  a obra: Eu habito em ti Valença do Minho da nossa autora Rita Nicolau  e ficaram a saber mais sobre a sua cidade, conforme podemos confirmar pela leitura dos textos que elaboraram.
 Os conhecimentos sobre o passado histórico de Valença foram ainda consolidados com uma visita de estudo à fortaleza.

A  minha cidade - Valença
Eu vivo em Valença e sei que existem muralhas em forma de estrela, onde dantes os soldados combatiam os inimigos que queriam atacar Valença. Antigamente havia trapicheiras; a minha bisavó e a sua mãe eram duas delas, levavam produtos para Espanha e traziam outros de lá. As apalpadeiras e os guardas andavam sempre atentos, não era fácil escapar-lhes. Valença faz fronteira com Espanha e o rio Minho separa os dois países.
Tiago Esteves 2ºano
A minha cidade - Valença
Valença foi chamada no passado de Contrasta. É uma cidade amuralhada, na forma de uma estrela, está situada no norte de Portugal e é banhada pelo rio Minho.
Na muralha há uma praça-forte com baluartes, passagens secretas e canhões que nos defenderam de outros povos.
Valença faz fronteira com Espanha e no passado, as trapicheiras atravessavam a ponte e traziam escondido nas suas algibeiras chocolates e caramelos.
Há lendas e tradições e o seu padroeiro é o S. Teotónio, primeiro santo português, que se festeja a 18 de fevereiro.
Valença é uma cidade com história e a sua gente é amável e muito acolhedora.
Rodrigo Alves 3ºano

Dez dedos dez segredos



No âmbito da Educação Literária, foram lidos e explorados na Biblioteca Escolar alguns contos da obra: Dez dedos dez segredos de Maria Alberta Meneres.
Os alunos ilustraram os contos que ouviram:
Conta o dedo mindinho da mão esquerda
Conta o dedo anelar  da mão esquerda






 


Sonho de neve

Na biblioteca da EB de Friestas, com a sala do Pré-escolar, foi lida e explorada a obra: Sonho de neve de Eric Carle, Edição Kalandraka. ...