sábado, 30 de janeiro de 2016

Escrita criativa

Os alunos do 4.º ano da E B de Friestas estão muito motivados para a leitura e para a escrita.
Aqui ficam alguns dos textos que escreveram com bastante imaginação e criatividade e que podemos ler com agrado.

A família
  
A minha irmã
Chama-se Carlota
E gosta de romã.
Dá cada cambalhota
E fica toda a gente numa risota.

O meu irmão
chama-se Mateus
é um comilão
e filho de Deus.

Eu, Tiago
Santiago de Compostela
é o meu Santo,
gosto de costela
e sou um espanto.

O meu querido pai
vende muitos socos
faz grande viagem
quando vai a Marrocos.

A minha mãe
chama-se Sofia
adora a sua mãe
que se chama Maria.

A minha avó
chama-se Fernanda
adora a Loló.
Gosta tanto de estar à varanda
e faz um pão de ló!...

Tiago Esteves 4.º B

O Inverno e a Natureza
 
Era uma vez o Inverno que andava muito triste e a Natureza ao vê-lo assim perguntou:
- O que é que se passa, amigo Inverno?
 - Amigo! Não me chames amigo! - disse ele.
 - Porque não? - perguntou a Natureza.
 - Porque os animais não gostam de mim! - exclamou o Inverno – Dizem que faço mal à
Natureza!
 A Natureza preocupada com ele disse:
 - Tu não fazes mal à Natureza! Apenas fazes bem! Vou contar-te a história! Quando tu chegas matas pequenos animais como: centopeias, formigas, minhocas... E também fazes apodrecer as folhas que caiem no Outono!
 - O que é que isso tem de bom? - perguntou ele.
 A Natureza respondeu rapidamente:
 - Isso quer dizer que tu dás água e sais minerais às árvores, ervas e flores!
 - Ai, sim? - disse ele. - Então porque é que os animais não gostam de mim?
 Ela respondeu:
 - Não gostam de ti porque não podem brincar cá fora! Eu vou dizer-lhes que tu és bom para a Natureza!
 Ela foi dizer isso aos animais. Eles ficaram amigos do Inverno e alegravam-se quando ele chegava. Eles nunca, nunca mais pararam!

  Sara de  Araújo 4.º B

Carta
   

Verdoejo, 12 de janeiro de 2016
Querido tio Vitor!
Que tal estão as coisas por ai?
Os primos Dylan e Hugo  e a tia Sandrine estão bem?
Espero que o Dylan tenha tirado boas notas e o primo Hugo se tenha portado bem! Quereis saber as minhas notas? Tive 100 em Estudo do Meio, 85,5 a Matemática e 87,7 a Português.O tempo passa muito rápido e eu já sinto saudades vossas, espero que nos voltemos a encontrar em breve.
Abraços e beijinhos do vosso sobrinho e primo.
 
      Francisco  Lourenço – 4.º B

       
 

Sou  uma gota de água

 Sou uma gota de água, tal como as minhas outras amigas e vivo no fundo do mar.
 Tinha umas boas amigas que se chamavam Natércia e Sara e andávamos sempre juntas, só que um dia, quando eu andava a brincar com as minhas amigas às escondidas a Natércia disse:
 - Está quase a acabar o tempo, 3...2...1...
 Mas quando a Natércia ia a dizer zero, eu fugi o mais depressa possível, para um sítio onde  ela nunca me encontrasse.
 Eu escondi-me num sítio todo colorido, e quando ela estava quase a ver-me, uma enorme mão agarrou-nos, a mim e às outras gotas como eu.
 Essa mão era de uma menina muito bonita, loira com olhos azuis, e quando eu olhei para cima é que reparei que estava a ver o céu. Foi magnífico, mas teria sido mais magnífico se as minhas amigas estivessem ali comigo.
 Depois uma caixinha com sabão  mergulhou por cima de nós.
 A seguir apareceu uma rodinha que pegou em mim, em algumas gotas e um pouco de sabão e conduziu-nos à boca da menina.
 Eu pensei  logo que ela nos ia engolir, mas estava muito enganada, apenas nos ia soprar para fazer bolinhas de sabão.
 Cada vez eu ia subindo mais e mais e mais... até estar mais ou menos a 200 metros de altura.
 Foi maravilhoso, estar tão alta a ver coisas que nunca vi: o Sol, as casas, milhares de pessoas e o céu.
 Até que eu caí na mão de um menino que me pôs no seu balde.
 Daí fui para a areia, o balde conduziu metade das gotas até a areia.
 Só que eu já estava tão cansada que me apeteceu dormir e não soube o que mais se passou.
 Até que hoje acordei e estou numa jarra de flores.

         Vitória, vitória acabou-se a história!

                                                                  Joana Gonçalves  4.º B

 
Se eu fosse um pintor

 Se eu fosse um pintor gostava de ser muito, mas muito famoso e que os meus quadros fossem vistos em todas  as cidades, em todos os países, em todos os continentes, ou seja, vistos em todo o mundo!
 Mas, para além disso gostava de pintar todo o tipo de quadros, coloridos e esbatidos, mas mais a ver com o sistema solar e a Via Láctea.
Poderia também pintar quadros abstratos!
Em cada quadro que pintasse eu iria colocar toda a minha alma de artista.
Cada quadro iria representar o meu estado de espírito!
Gostaria de ser um pintor feliz com o meu trabalho e que todas as pessoas se sentissem felizes ao apreciar os meus quadros.
 Assim, eu queria que acontecesse um dia no futuro, se me tornar um  pintor famoso.

                                                                               Fábio de Araújo 4.º B
Se eu fosse um pintor

Se eu fosse um pintor queria desenhar os quadros mais bonitos do mundo,  e
que eles fossem para os melhores museus de pintura.
Quando eu estivesse presente gostaria que houvesse muitas pessoas  a         tirar fotografias  aos meus quadros e a mim e que me pedissem autógrafos...
Eu gostaria de ser muito famoso para assim vender os  meus quadros caros e ficar rico.
 A minha casa estaria cheia de quadros que eu teria pintado.
E como bom pintor, só pintaria coisas bonitas como  paisagens e monumentos.
Gostaria   de viajar por todos os países  a  espalhar a minha arte e a ver coisas novas para me inspirar.
Se eu fosse rico daria algum dinheiro para ajudar os refugiados, com comida, casa e outros bens essenciais.
Também gostaria de ter uma academia de pintura, daria aulas a meninos interessados na pintura e na arte, tal como eu.
Enfim, eu como pintor acho que seria um magnífico e excelente pintor, com tanto sucesso, sentir-me-ia realizado e poderia ajudar muita gente.

Rúben Caldas 4.º B

                                                                                  

A importância do inverno

O gato, o cão, o pássaro e a ovelha estavam a conversar sobre o inverno.
Diz o gato:
— No inverno eu fico deitado na minha cama ou durmo no colo da minha dona, eu não gosto do inverno porque não posso sair de casa, para brincar!
Diz o cão:
— Eu não gosto do inverno, porque me entra água pela casota dentro, não consigo dormir porque fico encharcado e porque a chuva faz muito barulho!
Diz o pássaro:
— Detesto o inverno, não me deixa dormir e atira-me com o ninho que eu faço!
Diz a ovelha:
— Gostava que não existisse inverno, pois vou para o campo e molho-me toda e depois não durmo!
O inverno ouviu a discussão toda e foi-se embora para sempre.
No dia 20 de março, dia de primavera, o sol amanheceu muito quente, duas semanas depois as árvores da floresta começaram a secar.
Quando os animais viram que não houve inverno e as árvores não tiveram chuva, perceberam o quanto o inverno era importante para molhar a terra, secar as folhas que caem no outono e matar alguns bichos: formigas etc.
E nunca mais falaram mal do inverno, quando ele voltou!
Diz o gato:
— Adoro o inverno!
Diz o cão:
— Gosto muito do inverno!
Diz o pássaro e a ovelha:
— Adoramos muito o inverno e as coisas que ele faz por nós e por todos!

Natércia Fernandes 4.º B





quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Rosa Rebuçado


Isolada num jardim, Pascoalina é a única elefanta do grupo incapaz de conseguir que a sua pele seja da cor de rosa rebuçado. Quando os seus progenitores desistem de lhe impor esse aspeto, descobrirá por fim o significado da liberdade e abrirá o caminho da igualdade para as suas companheiras.
Mais uma hora do conto trabalhada com o pré-escolar, na BE da EB de Valença, falamos sobre as diferenças entre sexos e sobre certo estereótipos estabelecidos em relação ao que significa ser menino ou menina . 
Já em contexto de sala de aula e com total liberdade, os pequenos artistas, desenharam e pintaram, plasmando o seu entendimento e visão sobre o seu mundo interior.


























quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Cantar os Reis

Fomos cantar os reis e depois da festa veio o trabalho e os alunos do pré-escolar da EB de Valença, cumprem sempre na perfeição as suas tarefas...!







terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Flusí O Monstro das Meias

Mais uma história contada, mais um momento de ternura e alegria vivido pelos alunos do pré-escolar e primeiro ano.










O Cão Mal Desenhado

Dando continuidade às sessões de animação à leitura, a obra de Emma Dodson O Cão Mal Desenhado, livro recomendado para Educação Pré-Escolar, destinado a leitura em voz alta.

Era uma vez um cão que estava farto de ser mal desenhado. Andava cansado dos seus rabiscos e dos seus olhos mal acabados. Parecia mesmo ter sido feito à pressa e tinha o aspecto de uma mancha de fuligem. Um dia, quando o cão mal desenhado foi à cidade para visitar o seu amigo Tomás Caniche, um anúncio a pedir modelos chamou-lhe a atenção: "Hmmm… agora é que vou ser bem desenhado!", pensou ele. Mas mudar de estilo tem muito que se lhe diga...

Em contexto de sala de aula, os alunos revelaram também, serem eles próprios grandes artistas e a prova está patente, na pequena exposição que fizeram das suas obras de arte.












Sonho de neve

Na biblioteca da EB de Friestas, com a sala do Pré-escolar, foi lida e explorada a obra: Sonho de neve de Eric Carle, Edição Kalandraka. ...