terça-feira, 18 de novembro de 2014

Educação Literária O elefante cor-de-rosa

Resultado de imagem para CAPA O ELEFANTE COR DE ROSANo âmbito da Educação Literária, nas bibliotecas escolares, com as turmas do 2.º ano, foi lida e explorada a obra: O elefante cor-de-rosa de Luísa Dacosta.
No final foi proposto aos alunos a elaboração de um texto criativo ou a ilustração do elefante cor- de-rosa.

Imagina que o elefante cor-de-rosa da história vinha ter contigo. Como o receberias? Que programas farias com ele?

Podem ler os textos de um aluno de cada turma da E.B de Valença e apreciar as ilustrações dos alunos da E.B de Friestas.


 Se o elefante cor-de-rosa viesse ter comigo dizia aos meus colegas como ele era e o que comia.
De seguida levava-o até à minha casa para que ele visse o meu quarto dos brinquedos. E, se ele quisesse, brincávamos um pouco.
Entretanto, oferecia-lhe algo para comer ou para beber. Depois da visita à minha casa iriamos até ao parque situado na rua Costa Cabral no Porto.
A seguir iria mostrar-lhe a cidade do Porto no autocarro turístico. Sairia com ele na Boavista para visitarmos os meus avós.
Não tenho dúvidas que seria muito divertido!

Afonso Monteiro  E.B de Valença  2.º ano  Turma D


Se o elefante cor-de-rosa viesse ter comigo levava-o de férias, levava-o a passear para conhecer o mundo. Dava-lhe de comer e ensinava-o a ser bem comportado.
O meu elefante seria um animal muito feliz.
Juntos iríamos correr, jogar e saltar.
Seriamos com certeza os melhores amigos.
Pena que isto tudo não passe apenas de um texto.
Adorava que o elefante cor-de-rosa me visitasse!

Gonçalo Araújo  E.B de Valença  2.º ano  Turma E

Se o elefante cor-de-rosa da história viesse ter comigo ia mostrá-lo à família, iria brincar com ele, metia-o a dormir numa parte com relva em frente à minha casa, levava-o ao veterinário e ia com ele ao Jardim Zoológico para ver os outros animais. Quando ele chegasse à Terra iria recebê-lo muito bem e dar um passeio com ele, ia pô-lo a ser amigo do meu gato, ia com ele ao rio e para junto da árvore, ao pé da minha casa para ele comer folhas.

João Pedro Mota E.B de Valença 2.º ano Turma C

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

domingo, 2 de novembro de 2014

Dia Internacional da Biblioteca Escolar na EB de Friestas


A propósito do Dia Internacional das Bibliotecas Escolares -27 de outubro - foi solicitado aos alunos para  falaram  da importância das bibliotecas e as respostas foram as seguintes:

As bibliotecas são importantes porque …

têm livros antigos que nos contam o que se passou antigamente.
têm livros que nos mostram a ciência, a sabedoria e a arte.
têm livros engraçados e interessantes que nos contam histórias do mundo.
são locais onde podemos ler e aprender.
ao mesmo tempo que aprendemos com a leitura também nos podemos divertir.


                                                                                                                    Alunos do 2.º ano da E B de Friestas
 nos dão informação através de grandes histórias.
os livros ensinam-nos milhares de coisas.
ensinam histórias do passado e do presente.
ajudam-nos a explorar o mundo.
têm livros que nos ensinam coisas e mais coisas que ficamos a conhecer
Alunos do 3.º ano da E B de Friestas

ajudam-nos a aprender coisas novas e a desenvolver os conhecimentos.
dão-nos mais sabedoria, mais criatividade e mais imaginação.
com os livros aprendemos  mais vocabulário e desenvolvemos a linguagem.
ler em conjunto é divertido e reforça o prazer do convívio.
ler dá mais inteligência.
                                                                                                                 Alunos do 4.º ano da E B de Friestas

Os alunos ouviram a história A fada palavrinha e o gigante das bibliotecas  de Luísa Ducla Soares,
elaboraram o reconto da obra e realizaram bandas desenhadas.

A  fada palavrinha e o gigante das bibliotecas

Era uma vez um rei que tinha um cofre cheio de dinheiro. Tinha muito medo que um ladrão viesse e o roubasse e então pediu à sua família uma opinião de como o devia gastar.
A rainha disse logo:
-Eu quero um castelo de dez torres.
Mas, o rei tinha algo na sua cabeça, há muitos anos. A sua ideia era comprar uma biblioteca, e fez a sua vontade.
O rei estava muito feliz com a sua biblioteca, até que chegaram as traças e começaram a comer os seus livros. Furioso, o rei ordenou a vinte soldados para matarem as traças com as suas pistolas, mas os tiros não acertaram. Ainda mais furioso, mandou sete magos fazerem inseticida para matar as malditas traças, mas elas não desistiram e roeram cada vez mais.
Uma noite apareceu um gigante e o rei perguntou-lhe:
-Vens comer mais livros?
Não, venho pedir emprego. Quem come traças são os morcegos e eu sou um morcego. Respondeu o gigante.
Então, o rei todo contente mandou o morcego comer todas as traças.
Mas havia uma que, em vez de comer livros, estava a ler.
-Quem és tu? - Perguntou o gigante muito admirado.
- Sou a fada palavrinha que vive aqui ao teu lado. - Disse ela.
O gigante levou-a ao rei que ficou com ela para guardar e cuidar da biblioteca, junto do morcego.
A palavrinha guardava a biblioteca de dia e o morcego de noite, assim estava sempre protegida das malditas traças.
Perlimpimpim que esta história chegou ao fim.

Erica Fernandes  E.B de Friestas 2.º ano






















Sonho de neve

Na biblioteca da EB de Friestas, com a sala do Pré-escolar, foi lida e explorada a obra: Sonho de neve de Eric Carle, Edição Kalandraka. ...