quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Uma criança que lê será um adulto que pensa



Fomentar a leitura em qualquer idade sempre é sinonimo de enriquecimento, mas incentivar esse hábito entre os mais jovens da sociedade é uma garantia total de um futuro melhor. 

Uma criança que lê irá se converter-se num adulto com ideias próprias e uma mentalidade firme,capaz de questionar o que a cerca e de compreender mais facilmente seu lugar no mundo.
Uma criança que lê será um adulto que pensa, porque não há um domínio maior do conhecimento do que aquele que nos oferecem os livros. Quando lemos nos nutrimos de imaginação e raciocínio que os outros depositaram em folhas em branco, e somos mais recetores quando nos abrimos: as crianças, sem preconceitos, são capazes de ler com toda a sua gama de emoções depositadas na leitura.

Uma criança que lê será livre para sempre

Ler nos ajuda a pensar e pensar nos liberta, assim, se seu filho gosta de passar o tempo a ler histórias, é melhor que continue agindo assim. Na verdade, essa será a forma mais eficaz que ele terá para apreciar uma variedade de situações, opiniões e de condutas que a vida oferece: com certeza isso ajudará a formar a tolerância da criança e ela ganhará em respeito e solidariedade.

Em muitas ocasiões, como adultos, aquilo que era desconhecido em nosso pequeno mundo habitual nos surpreendia ou, inclusive, incomodava. Essas sensações provêm sobretudo de querer acreditar que o seu é o válido e o do outro não pode ser, pensamento que deriva sobretudo da ignorância.
Ler é como viajar em todos os seus sentidos e nos ajuda a abrir a mente: uma criança que lê descobrirá outras culturas, outros modos de vida, outros costumes diferentes dos seus e saberá, muito antes do que aquele que não lê, que existem outras coisas além do olhar quotidiano. Ter consciência disso fará com que ela se torne um adulto que escapará de juízos de valor gratuitos e se sentirá menos preso aos interesses de outras pessoas.

O refúgio contra as misérias da vida

Por sorte ou por azar, o mundo administra os que acreditam ser normais, mas dá vida plena  aqueles que acreditam ser loucos. Já dizia Dom Quixote: ele lia e lia até que encontrou a forma de viver baseado em suas crenças e ilusões que o permitia ser feliz, enquanto ao seu redor continuava sujeito a uma realidade convencional que julgava a sua maneira de viver.

Os “loucos” que leem são capazes de encontrar o refúgio das misérias da vida enquanto os que não o fazem vivem nelas sem sequer estarem conscientes disso. Por isso, é preciso deixar uma criança chorar e rir ao ler um livro, é necessário permitir-lhe se apaixonar por uma história e apoiá-la se ela decidir entrar com tudo nesse campo da imaginação que está ao alcance de qualquer um.
Por outro lado, ao se deparar mesmo com um texto pequeno, ela se surpreenderá com o que encontra e é provável que sofra mais com o que absorve, uma vez que será para ela como uma entidade estranha que quer mudar o seu conformismo. Unamuno empregou as palavras corretas ao pedir que as crianças cresçam lendo porque dessa maneira serão adultos menos vulneráveis, menos indefesos e mais humanos.

Leitura: a fábrica da imaginação

Existem várias atividades  que ajudam a desenvolver e melhorar a imaginação independentemente de quantos anos nós tenhamos, incluindo uma das mais bonitas que é a leitura: uma fábrica inteira onde é forjada e recolhida toda criatividade dos seres humanos.


Uma criança que lê será uma criança que pensa, afirmou algum pensador genial, e ele não estava enganado. Ler é brincadeira, é entretenimento, é construir sonhos, é refletir, é um estado de ânimo, é isolamento e companhia, é prazer. 

Ler brinda lembranças que foram cumpridas e outras que cumpriremos, e move as incertezas mais internas para nos aproximarmos delas.



A mente é maravilhosa - Uma criança que lê será um adulto que pensa. Disponível em: <https://amenteemaravilhosa.com.br/crianca-que-le-sera-adulto-que-pensa/?fbclid=IwAR3JWcQr_KzOe3Zk_J-X6U72HzmLE-UOCI_B6eZ-NkWCQpC9ZIEN5XHeckQ>. Acesso em 05 dez.2019.

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Um portal a seguir...

O Portal da Criança surge integrado  numa missão, aliando os conhecimentos/experiência adquiridos junto dos vários intervenientes na área da infância às novas tecnologias de informação e conhecimento.

Este portal pretende dar resposta, de uma forma concisa e de fácil acesso, a questões que surgem de forma recorrente no dia a dia de um pai/educador/profissional da educação.



sexta-feira, 15 de novembro de 2019

A Terra Treme

De acordo com atividade, a nível nacional, denominada A Terra Treme, estiveram hoje na biblioteca da EB de Valença, agentes da GNR que realizaram uma sessão de sensibilização sobre os cuidados a ter em caso de sismos e outras catástrofes naturais.
Esta sessão foi dirigida às turmas do 4º ano.



Cientistas de Palmo e Meio

No âmbito deste projeto, na Biblioteca da EB de Valença decorreu uma sessão sobre a compostagem realizada pela professora Beatriz, com as turmas 1º B e 2º D.





terça-feira, 12 de novembro de 2019

O Magusto – As castanhas


As Escolas Básicas continuam a comemorar o S. Martinho e a realizar os Magustos como é tradicional. 

Na EB de Friestas, os alunos realizaram trabalhos de escrita criativa, divertiram-se à volta da fogueira e comeram as deliciosas castanhas assadas.


Escrita criativa

“A fada levou a castanha consigo…”
Imagem relacionadaQue terá acontecido depois?
Imagina uma conclusão para a história

A castanhinha viajante

A viagem de Rosalina e da castanha foi muito interessante e cheia de aventuras. Sobrevoaram por toda a Europa e conheceram países, cidades e vilas maravilhosas.
A castanha estava a gostar de tudo mas começou a ficar muito preocupada com a poluição que viu nos diversos países. Foi então que necessitou de visitar um bosque para conversar com as árvores e explicar a sua preocupação.
Continuaram a sua viagem e chegaram, ao nascer do sol, ao Polo Norte. Sentiram-se com frio e precisavam urgentemente de um abrigo.
Foi então, que apareceu o urso polar que as levou até um abrigo. Quando lá chegaram repararam que a família urso estava cheia de fome devido à falta de alimento, por causa do aquecimento global.
A Rosalina pegou logo na sua varinha mágica e fez aparecer uma grande quantidade de peixes. Assim criou-se uma grande amizade.
A castanha e a Rosalina começaram a sentir saudades do seu bosque e resolveram voar.
Quando chegaram, as duas entusiasmadas, contaram todas as aventuras vividas a todos os seres do bosque. Eles ficaram muito felizes.                                         
                                                                                             EB de Friestas – Dinis - 4.º ano













Uma criança que lê será um adulto que pensa

Fomentar a leitura em qualquer idade sempre é sinonimo de enriquecimento, mas incentivar esse hábito entre os mais jovens da socied...