quinta-feira, 23 de maio de 2013

História de Portugal


Numa sessão da Biblioteca Escolar foi apresentada aos alunos do 4º ano a obra, em formato digital, Era uma vez um rei... D. Afonso Henriques - o conquistador, disponibilizada pelo Instituto Camões. Esta coleção visa sensibilizar os alunos para a importância da História de Portugal e despertar-lhes o entusiasmo e a vontade de aprender sobre o passado do nosso país.
No âmbito do apoio ao currículo, os alunos ouviram com muito agrado a história do nosso 1º rei e elaboraram textos recordando e aplicando conhecimentos.

 

Era uma vez um rei… D. Afonso Henriques
Era uma vez um rei que antes de ser rei foi apenas menino, mesmo sendo filho de um conde poderoso que tinha para ele grandes sonhos e projetos.
Esse menino chamava-se Afonso. Aos 3 anos o seu pai morreu e um senhor chamado Egas Moniz encarregou-se de lhe dar educação.
Afonso Henriques aos 14 anos de idade, em 1125 armou-se cavaleiro, na catedral de Zamora.
Ele não tinha medo de nada, queria alargar o território mas sua mãe D. Teresa queria juntar Galiza com Portugal.
Como estava zangado decidiu combater contra sua mãe na batalha de São Mamede.
Desde esse dia decidiu conquistar novas terras fazendo batalhas, onde sempre vencia.
Algumas das terras que conquistou foram: Santarém, Lisboa, Sintra, Almada, Palmela,...
Quando ele faleceu seu filho Sancho I decidiu continuar o seu caminho conquistando definitivamente o Algarve.
Um dia apagou-se a luz
nos olhos do rei fundador,
adeus Afonso Henriques
é Sancho o conquistador.
 
Gabriela e Beatriz Rodrigues - 4º ano, turma H - E. B. de Valença

 
Era uma vez um rei… D. Afonso Henriques
D. Afonso Henriques era filho de D. Henrique e de D. Teresa. Estes casaram-se porque D. Afonso VI assim o quis, D. Henrique ajudou D. Afonso VI a conquistar vários Reinos: Reino de Castela, Reino de Leão... Desse casamento nasceu D. Afonso Henriques.
Quando tinha 3 anos D. Henrique era valente e corajoso, brincava às lutas e desejava ser cavaleiro, trepava às árvores e construía castelos. Ele era aventureiro.
Quem cuidava dele era o aio Egas Moniz. Este educou-o e deu-lhe uma espada de madeira.
Quando tinha 13 anos armou-se cavaleiro.
Cresceu e combateu contra as tropas da sua mãe, ganhou batalhas e foi derrotando os Mouros. Conquistou várias terras: Santarém, Sintra, Leiria, Lisboa, Beja... e em cada uma delas colocou um castelo.
Depois das batalhas ele tinha pesadelos.
Em 1143 foi assinado o tratado de Zamora em que Portugal foi considerado um reino independente e D. Afonso Henriques tornou-se o primeiro rei. Só muito mais tarde o Papa Alexandre III assinou a bula, documento oficial onde reconhecia a independência de Portugal.

 Miguel e Matheus - 4º ano, Turma I - E. B. de Valença
 
 
D. Afonso Henriques
  D. Afonso Henriques, também conhecido por D. Afonso I de Portugal, nasceu a 25 de Julho de 1109 em Guimarães. Foi o fundador do Reino de Portugal em 1143. Era filho de D. Henrique de Borgonha e de D.Teresa de Leão, condes de Portucale.
Aos 3 anos de idade, o seu pai D. Henrique de Borgonha faleceu. Afonso tomou uma posição política oposta à de sua mãe, após a morte do pai. Aos 14 anos de idade, D. Afonso Henriques armou-se cavaleiro e após vencer sua mãe na batalha de S. Mamede em 1128, assumiu o governo . Em 1139, depois da vitória na batalha de Ourique contra os mouros, D. Afonso Henriques tornou-se rei de Portugal com o apoio das suas tropas. Conquistou várias terras como por exemplo: Santarém, Lisboa, Sintra, Almada, Palmela, Évora, Beja....Cada vez que conquistava uma terra, ordenava que construissem um castelo.
Conquistou todas as terras menos o Algarve, mais tarde conquistada pelo seu filho D. Sancho I.
 D.Afonso Henriques faleceu a 6 de Dezembro de 1185, deixando ao seu filho D.Sancho I um território perfeitamente definido e independente.
 
Gabriel Fernandes -  4ºano, Turma J - E. B. de Valença



Sem comentários:

Enviar um comentário

Sugestões de leitura dos alunos

Os alunos do 4.º ano das escolas com biblioteca escolar escolheram obras para leitura durante a pausa letiva do Natal. Em sessões na biblio...