quinta-feira, 18 de abril de 2013

O médico do Mar



Relativamente à temática do Mar, foi lida e explorada na Biblioteca Escolar a obra: O médico do mar de Leo Timmers.
Os alunos do 2º ano recontaram a história e as crianças do Pré- escolar realizaram as ilustrações.
 
O médico do mar
 
O médico do mar todas as manhãs mergulhava nas profundezas do oceano.
Chegou logo o seu pequeno cliente, um cavalo marinho que não via quase nada e quase batia no submarino. O médico do mar teve de travar a fundo.
Brum! Brum!-tirou um consultório de oftalmologista e pôs-lhe uns óculos.
Mergulhando outra vez encontrou uns dentes grandes, eram do tubarão que tinha dor de dentes.
Brum! Brum! - tira o consultório de dentista e tira-lhe o dente.
Mergulhando outra vez encontra o polvo que lhe dói as costas.
Brum! Brum!-tirou o consultório de massagem e pôs-lhe pomada e ligaduras nos oito tentáculos.
Mergulhando de novo encontrou a vegetação e viu uma baleia que estava a chorar.
O médico do mar perguntou porque chorava e a baleia disse:
-Eu sou grande, gorda e a mais lenta do oceano.
-Tu não és nada disso, tu és a maior.-disse o médico do mar.
 O médico do mar ia para a superfície mas enrolou-se nas algas, o cavalo marinho viu e foi buscar ajuda.
Ele encontrou o tubarão que trincou as algas.
Mas o motor começou a arder e o cavalo marinho foi chamar o polvo que tentou arranjar o motor mas não conseguiu.
Entretanto apareceu a baleia que o levou para a superfície.
O médico do mar disse muito obrigado a todos os animais.
Eles disseram que tinha sido um prazer.
Texto: Diogo Martins 2º D -  E.B. de Valença
 

 
Ilustrações: Leonor e Mara - Sala 1, Pré-escolar de Friestas
 
O médico do mar
 
Um dia pela manhã o médico do mar foi ver se havia algum peixe feridos no mar.
Então o primeiro cliente foi o cavalo marinho.
O cavalo marinho não conseguia ver. O médico perguntou-lhe:
- Passa-te alguma coisa?
- Sim, não consigo ver quase nada.
Nesse momento o submarino começou a fazer um ruído e saíram uns óculos muito bonitos.
A seguir encontrou o tubarão que tinha uma grande dor de dentes. O médico teve que lhe tirar um dente, e depois aconselhou-lhe que lavasse os dentes todos os dias.
Passado pouco tempo passou o polvo, tinha feridas nos tentáculos.
O médico perguntou-lhe:
- O que aconteceu?
- Magoei -me na escola .
- Então vou ter que te pôr pomada nos tentáculos e ligaduras.
Dentro de uns dias estarás melhor.
Mais à frente encontrou-se com a baleia e perguntou-lhe:
- Porque estás triste?
- Porque sou gorda lenta e fraca.
-Não, tú és magra rápida e forte.
E a baleia ficou toda satisfeita.
O médico do mar queria ir embora mas ficou preso nas algas. O cavalo marinho estava a ver tudo, foi chamar o tubarão para trincar as algas, mas mesmo assim o submarino foi abaixo.
Depois do médico se ter espetado contra a areia o polvo foi lá para tentar ajudá-lo e arranjar o motor, mas não conseguiu. Então chamou a baleia.

A baleia veio e com todas as forças que tinha levantou o submarino para a superfície e o médico respondeu:
- Muito obrigado.
E todos disseram:
- Foi um prazer ajudá-lo.

Texto: Rodrigo Casais 2º C - E. B. de Valença

 




 
Ilustrações:  Salas 4,3 e 2  Pré-escolar de Valença
 

 

 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sugestões de leitura dos alunos

Os alunos do 4.º ano das escolas com biblioteca escolar escolheram obras para leitura durante a pausa letiva do Natal. Em sessões na biblio...